15.09.2015

Oradora principal em Bruxelas e no Luxemburgo para debater a economia digital e as competências e formação para o Turismo

No passado dia 15 de Setembro a Deputada Monteiro de Aguiar foi oradora na Conferência intitulada “Desbloquear o Potencial das PMEs para o Crescimento e a criação de Emprego : os desafios digitais” organizada pela HOTREC, Associação Europeia para a Hotelaria, Restaurantes e Cafés, e a UEAPME, Associação Europeia Voz das PMEs.

foto IIA Deputada Madeirense do PSD esta a elaborar um documento sobre a economia de partilha, a denominada Sharing-Economy, e apresentou ao sector da Hotelaria “ as oportunidades e os desafios da economia digital e a importância para as Micro e as PMEs estarem ligadas às tecnologias da Informação” destacando “ que os novos modelos de negócio que surgem da Sharing-Economy devem ser, em primeiro lugar analisados pela Comissão Europeia, olhando para a aplicação da legislação europeia já em vigor, nomeadamente a Directiva de Serviços, para aferir oportunamente a necessidade de criar mais regulamentação geral ou caso a caso”. A Deputada referiu ainda que “ todos os cidadãos da União devem ter acesso aos mesmos serviços, coisa que neste momento não está a acontecer” sublinhando ainda que “ não devemos criar mais burocracia para as Startups e as Micro e Pequenas e Médias Empresas da Europa.”

Ainda sobre o mote do Turismo a Deputada Monteiro de AGuiar participou no Fórum Anual de Turismo no painel “Aptidões e Competências para o sector do Turismo”, organizado pela Presidência do Luxemburgo e pela Comissão Europeia. A Eurodeputada destacou a necessidade “ de a União juntamente com os agentes educativos e o sector de criar uma Estratégia para o Desenvolvimento das Competências e Aptidões necessárias para o sector, que sofre com a falta de recursos humanos qualificados e de certas competências, nomeadamente no domínio digital, nos idiomas, no compreender as diferenças culturais.” Na sua intervenção desafia ainda a indústria a criar um Erasmus para o Turismo, que crie um programa de intercâmbio para empregadores e empregados, que poderá funcionar como instrumento de combate à sazonalidade.

Por último, refere que sendo um sector que emprega maioritariamente jovens e como forma de combater o flagelo do desemprego jovem “ acredita que os Estados-Membros devem aproveitar o crescimento do Turismo e nos programas de formação incorporar este sector que toca em diversos ramos da Economia.”.