15.09.2015

No dia 15 de Setembro de 2015, a Comissão Europeia apresentou o Relatório sobre a Juventude da UE de 2015, que traça o quadro geral da situação dos jovens na Europa.

O Relatório sobre a Juventude da UE revela que, geralmente, os jovens são mais educadas do que seus antecessores e menos jovens abandonam a escola na UE. No entanto, 8,7 milhões de jovens com idades entre 15-29 estão desempregados, 13,7 milhões não estão a trabalhar, a estudar, ou em formação (NEET) e perto de 27 milhões estão em risco de pobreza ou exclusão. Estes jovens tendem a participar menos em atividades sociais, votam menos e têm menos confiança nas instituições. Os jovens são usuários ativos de Internet e mídia social, cerca de metade são membros ativos de organizações e um em cada quatro jovens, é voluntário.

Desde 2013, a UE e os Estados-Membros tomaram medidas para apoiar os jovens, em particular para ajudá-los a encontrar emprego. No entanto, a terrível situação dos jovens e a necessidade de contrariar os riscos de exclusão, a marginalização ou a radicalização violenta, chama a atenção para dar prioridade à integração na sociedade, com o objetivo final de permitir que todos os jovens se tornem ativos e membros na sociedade. Há uma necessidade especial, para reforçar as ligações com os desportos e a educação, a fim de aumentar a inclusão social e aumentar as competências dos jovens e a empregabilidade.

O programa Erasmus + e outros instrumentos da UE irão apoiar os esforços políticos. Erasmus + vai dedicar um maior financiamento para a inclusão, a cidadania e o diálogo intercultural, a partir de 2016.