Cláudia Monteiro de Aguiar participa em painel obstáculos para turistas

Cláudia Monteiro de Aguiar foi oradora convidada no primeiro Fórum de Líderes Europeus do Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC), organizado conjuntamente com o Turismo de Portugal, no passado dia 11 de setembro. Um fórum que reuniu, em Lisboa, mais de 150 empresas de Viagens e Turismo europeias, bem como especialistas no sector e responsáveis governamentais nacionais e internacionais, com o objetivo de debater o futuro do Turismo na Europa.

Num painel moderado por Gloria Guevara, presidente da WTTC, num debate centrado no que será necessário para a viagem perfeita, para que os turistas consigam viajar de forma mais célere e menos burocrática, com menos obstáculos, Cláudia Monteiro de Aguiar defendeu que “o número cada vez maior de pessoas que cruzam fronteiras internacionais obriga a que os legisladores europeus tenham de lidar com desafios que vão para além desse crescimento, sendo imperativo colocar a tecnologia ao serviço das pessoas para diminuir as barreiras ao turismo, para melhorar a experiência e tornar as viagens cada vez mais cómodas.”

O painel contou ainda com a participação de Bento Correia, presidente da Vision-Box, uma empresa tecnológica portuguesa que oferece serviços de digitalização para reduzir os tempos de espera nos aeroportos, com Miguel Frasquilho, presidente do conselho de administração da TAP, e Kimmo Maki, presidente da Finavia Corportation, a empresa pública que gere os 21 aeroportos da Finlândia.

O debate centrou-se ainda na questão do congestionamento das infraestruturas aeroportuárias: como reduzir drasticamente os tempos de espera, os atrasos, as alterações de voos sem colocar em risco os passageiros e colocando as ferramentas das novas tecnologias ao serviço dos turistas e das infraestruturas aeroportuárias e companhias são dos grandes desafios atuais da indústria.

Ainda assim, a Deputada Madeirense, referiu que “embora haja apoio generalizado da indústria para aumentar o uso de dados biométricos para a segurança das viagens, alguns colegas do Parlamento Europeu são resistentes a estes desenvolvimentos e evolução tecnológica, com base em questões de liberdade civil e proteção de dados. É necessária uma mudança de mentalidade para que seja aprovada legislação nesta área.”

Também por isso, concluiu a Eurodeputada, “é necessário garantir que questões como as migrações e a segurança sejam amplamente analisadas. E ao analisar que sejamos precisos, mas menos burocráticos. Agora a Comissão Europeia tem uma oportunidade de ouro relativamente à revisão dos vistos, e apresentou-nos uma proposta que fica aquém do expectável.”

A WTTC, fundada nos anos 80, é composta por membros da comunidade empresarial do setor em todo o mundo e trabalha junto das entidades governativas para consciencializa-las sobre as necessidades desta indústria, além do estudo do impacto económico e social das Viagens e Turismo. Este encontro, realizado em Lisboa, tem em vista também a realização em novembro no Parlamento Europeu de uma iniciativa que debata soluções mais adequadas para a legislação recentemente proposta pela Comissão Europeia e para o financiamento da indústria.